Do papel para as telonas: A culpa é das estrelas

Oi gente, enfim consegui arrumar um tempinho pra vir postar pra vocês pela primeira vez. 
E por ser meu primeiro post, não poderia falar de outra coisa que não fosse meu xodó, que é o livro "A culpa é das estrelas". Pra vocês terem uma noção do quanto eu amo esse livro, eu até fiz uma tatuagem com o nome do livro, mas enfim, vamos lá ao que nos interessa.

Como todos sabem, é comum vermos bons livros irem para as telonas, e depois de um sucesso estrondoso que "a culpa é das estrelas" fez após de seu lançamento, conquistando não só o público jovem, mas também o adulto, o que era mais esperado aconteceu, o livro que emocionou milhares de pessoas ganhará uma adaptação cinematográfica no ano que vem. O filme será estrelado por Shailene Woodley (Os descendentes) e por Ansel Elgort (Carrie, a estranha). No elenco ainda estão Willem Dafoe, Laura Dern e Sam Trammell.


Shaine Woodley (Hazel Grace) e Ansel Elgort (Augustus Waters).


Para quem ainda não leu o best-seller de John Green, a história acompanha Hazel (Shailene Woodley) e Gus (Ansel Elgort), dois adolescentes que se conhecem e se apaixonam em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer. Ela é uma paciente terminal que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões e está sempre acompanhada de um balão de oxigênio. Ele usa uma prótese no lugar da perna que perdeu por causa de um câncer nos ossos. 
Para os que já leram, a expectativa é grande, pois nós sabemos o quanto o livro é maravilhoso, e esperamos que o filme consiga ser o mais próximo do que tem no livro, torço para que o roteiro seja idêntico ao livro, nada de adaptações malucas, pois o livro já é perfeito sem tirar nem colocar uma letra. Para alguns, os atores escolhidos não condizem muito bem ao personagens descritos no livro; como uma leitora fanática que sou do livro, não só eu mais outros tantos fãs, esperávamos por um Gus mais forte e charmoso, com os olhos azuis, cabelos pretos, maxilar "quadrado" e com o sorriso torto que tanto amamos, e uma Hazel mais "descolada", não estou desmerecendo os atores escolhidos, pois sei que existiam outras escolhas de atores mais "parecidos" com nosso casal. Mas se eles foram escolhidos, com certeza irão fazer um bom papel (assim espero).
Eles seriam meu casal perfeito, mudando a cor do cabelo da Hazel.
Eu confesso que estou muito ansiosa por causa de algumas cenas que me emocionaram no livro (ALERTA DE SPOILER), por exemplo, a cena no livro da qual o Gus se declara pra Hazel, os dois se beijando no museu da Anne, os dois no restaurante bebendo "estrelas", fazendo amor no hotel e a cena que eu quase alaguei meu quarto, a morte do nosso amado Gus. Não sei se meu psicológico irá suportar tudo isso, é quase certo que irei chorar MUITO.
Agora vamos conferir algumas fotos dos bastidores durantes as gravações. Dá pra perceber o quanto as gravações estão sendo descontraídas!



Deu peninha do cabelo da Shailene hahaha




Tão lindos juntos!




“A Culpa é das Estrelas” estreia nos Estados Unidos em junho, e ainda não há previsão de quando chega ao Brasil, por isso ficaremos na espera.

Espero que tenham gostado do post, e agora, a opinião de vocês, qual a expectativa para esse novo filme? Estão prontos para chorar? Então é isso, beijos e até mais!




Você é meu ecstasy...

Eu não sei bem onde começou e nem como irá acabar, mas sei que independente do que vier a acontecer será intenso, perfeito e irrefutável. Você tem o poder de me prender, você provoca uma transe, um certo tipo de hipnose cada vez que me fita com esses olhos âmbar. Apenas com um riso de canto de boca você consegue me fazer ruborizar e toda minh’alma estremece dentro do meu corpo. Eu me sinto liberta quando estou contigo, como se estivesse vivendo dentro de uma canção de verão, animada e contagiante. Alegria. Estou sentindo pela primeira vez a sensação de completa alegria. Poder ser quem eu sou sem ninguém criticando, poder amanhecer aninhada ao teu corpo sentindo o seu calor e o aroma inebriante do teu perfume amadeirado. Em nenhum momento teria imaginado que uma pessoa mudaria tanto minha vida e minhas concepções sobre o mundo. Não somos namorados, nem amantes e nem amigos e ao mesmo tempo somos tudo isso junto, tudo e muito mais. Sinto como se tivéssemos sido perfeitamente encaixados e feitos para durar. Nosso jeito meio torto de amar funciona perfeitamente, nossos mundos tão contrários se juntaram tão bem como imãs, e o nosso magnetismo é tão forte que me custa acreditar que um dia esses imãs descolarão. Eu gosto, na verdade amo ser de certa forma, presa a você. Presa de uma forma boa, uma prisoneira que não almeja sair da prisão. Amo estar envolta e emaranhada em sua teia, e enclausurada em sua bolha impenetrável, amo estar nesse mundo só nosso, jogando o nosso jogo e fazendo as nossas próprias regras. 






Você é o meu ecstasy, Gabriele Manfredini.

TAG: "Um livro que..."



Oi meus anjos! Desculpa estar ausente, é que meu notebook quebrou de vez (choremos :c), daí fica super difícil manter o ritmo de postagens no Sereníssima.
Bom, ninguém me indicou a tag (ninguém nunca me indica uma tag), eu vi encontrei ela aqui.
A proposta da tag é citar 10 livros de acordo com a frase "um livro que..." Lets go?


Um Livro que te emocionou muito: Cante Para Eu Dormir, é que a personagem principal tem muito de mim, é aquele tipo de personagem que parece que foi escrita baseada em mim. Resenha aqui.

Um Livro que queria muito ler, mas descobriu que não era tudo aquilo que pensava: Quem é você, Alasca. De todos os livros do John Green eu achei que esse era o que mais eu iria gostar, ele é legal e tudo mais, só que me decepcionou, acho que pelo fato de eu ter esperado demais dele.

Um Livro que achava que não iria gostar, mas te surpreendeu: A Culpa É das Estrelas, eu implicava demais com esse livro, sério. Achava que todos liam por ser "modinha" e coisa e tal, mas ao antes mesmo do meu da história eu já estava apaixonada. 

Um Livro que  tenha há muito tempo em sua estante e ainda não leu: Flordelis, é a biografia de uma mulher que adota 50 crianças, ganhei de amigo secreto ano passado, sempre deixo o coitado meio de lado, mas pretendo lê-lo logo.

Um Livro que te passou uma lição de vida: Pode ser dois? haha A Culpa É Das Estrelas e A Menina Que Roubava Livros me ensinaram muitas coisas, me ensinaram a lidar com a morte, e sei lá, Hazel e Liesel são personagens muito fortes, as duas têm muito a ensinar.

Um Livro que te fez suspirar: O Diário de Uma Paixão, tá eu não gosto muito do Nicholas Sparks, mas esse livro dele narra uma história muito linda, é meio que impossível não suspirar com ela.

Um Livro que você ainda não tem e quer muito ler: O Diário de Anne Frank com certeza, vou comprá-lo no fim do ano porque eu mereço lê-lo.

Um Livro que de tão bom era difícil parar de ler: A trilogia Jogos Vorazes, todos os livros me prenderam demais, principalmente o livro dois - Em chamas.

Um Livro que não é muito seu estilo, mas tem vontade de ler: 1984 do George Orwell, me indicaram ele e eu li várias resenhas e fiquei super afim de ler.

Um Livro que indica: O Menino do Pijama Listrado, eu ia indicar A Menina Que Roubava Livros porque é o meu livro predileto, mas como já citei ele, indicarei O Menino Do Pijama Listrado porque trata quase do mesmo tema, e também foi um livro que me tocou.

Bom, como tem que indicar 3 blogs para a tag vou indicar os meus três favoritos. 
E aí, gostaram da tag? Comentem no espaço para comentários. Beijos.







Na vitrola: Ivo Mozart!

Hello peoples! Vocês conhecem o Ivo Mozart né? Não? Então vamos conhecer...




O Ivo é o um cara simples e doce, que vem conquistando o Brasil. Principalmente depois do sucesso Vagalumes da banda Pollo (música de autoria do Ivo) que ele fez uma participação.
Eu conheço o trabalho do Ivo desde "Mocinho do Cinema".  As músicas do cara são leves, tem uma vibe boa... Se você gosta de músicas que te fazem relaxar e descontrair a mente ouça Ivo Mozart.
No "Na Vitrola" de hoje eu montei uma playlist com as 5 músicas do Ivo que eu mais gosto. Enjoy?







                                         



Bom, esse foi o "Na Vitrola" dessa semana. Quem já conhecia o Ivo? O que acham dele? E quem não conhecia, gostaram? Me contem ali embaixo.
Beijos!

Nova Colaboradora!

Olá pra vocês, sou a Andreza, a mais nova colaboradora daqui do Blog, sou amiga da Gabs e vou postar sobre Livros, Séries, Filmes e algumas Curiosidades. Não sou boa com apresentações, mas vamos lá, tenho 20 anos, sou pernambucana, moro com 3 amigas, trabalho e estudo, então usarei meu pouco tempo pra postar o melhor que puder para todos vocês. Sou um pouco maluca, então certas coisas que eu falo não tem muito sentido (ha ha). Ao decorrer das postagens, vou fazer alguns sorteios de livros que tenho para doação. Aceitarei todas dicas e sugestões que vocês tiverem para mim, sou nova nesse mundo dos Blogs, e estou aberta a novos aprendizados e a conhecer e interagir bem com todos. No começo sou um pouco tímida com todos, mas depois vou me soltando. Enfim, creio que seja apenas isso. Espero que vocês gostem do que irei compartilhar com vocês, prazer, beijos sabor cereja!
foto minha pra vocês (clica que fica grande)


#EuSouAmigaDaPaty

Oi mundanos! O post de hoje é um pouco mais sério, e é por uma causa maior. Ele é em prol da Paty. Eu não a conheço, mas eu a admiro, eu gosto de pessoas que tem brilho no olhar e a Paty tem isso. E eu vou entrar nessa campanha. Vamos conhecer a diva Paty?



"Meu nome é Patricia Oshiro Brentan, atualmente  moro em Santo André – SP, tenho 25 anos,sou formada em Engenharia de Alimentos. Amo pessoas! Das mais diversas raças,estilos,sexo ou religião. O que me agrada é conhecer. Gosto muito de ler,de sair,de viajar e me amarro em moda. Estava levando uma vida normal até maio de 2012 quando fui diagnosticada com Leucemia Linfoblástica Aguda – LLA.
Desde então comecei meu tratamento de quimioterapia,que a princípio deu super certo. O tratamento estava preste a terminar,quando em dezembro de 2012 foi constatado num dos hemogramas de rotina,uma alteração nos leucócitos,o que indicava que a doença tinha voltado.A partir daí o tratamento,além de quimioterapia mais forte,necessitava de transplante de medula óssea. Desde que soubemos que eu precisaria de doação de medula óssea,todos começaram a luta e campanhas para encontrar doadores. Meus pais,meus irmãos,familiares,amigos,todos em busca da #medulaperfeita. As campanhas ganharam muitos novos doadores,de várias regiões do país,e isso me deixou muito feliz porque essas pessoas que estão doando em busca de encontrar um doador pra mim,estão ajudando milhares de outras pessoas que também precisam,isso é solidariedade,é amor ao próximo,é o que faz do ser humano um ser ainda melhor!Procuro estar sempre com a mente positiva,que é de fundamental importância no tratamento,e quanto ao resto,fé em Deus sempre,porque só ele é capaz de agir em nossas vidas!
Peço a todos,que DOEM medula óssea,a doação é muito mais simples do que as pessoas imaginam,e qualquer pessoa em bom estado de saúde,tendo entre 18 e 55 anos pode doar.Segue o link do hemocentro de todos os ESTADOS do BRASIL
http://www1.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=2639
Mas não esqueçam de ser responsáveis ao doar,a doação é simples mas a decisão é séria,a partir do momento que você se torna um doador,e é chamado por ser compatível com alguém,você trará  esperança de vida a uma pessoa que precisa,desistir por medo ou falta de informação é um erro grave! Vamos nos conscientizar,vamos doar com a mente e o coração aberto!
Beijos Paty"
 Essa campanha me comoveu, não só pelo fato de eu ter simpatizado com a Paty. É que existe uma "Paty" na minha vida, e o nome dela é Karoll, a Karoll é irmã de uma amiga minha e assim como a Paty ela tem brilho no olhar e tem sede de vida, ela é guerreira. Um dia desses eu tava com a Karoll e ela comentou o quanto queria um transplante de medula, e eu vejo o esforço e o empenho de todos que a cercam para mantê-la feliz e não só ela, como essas pessoas que a amam merecem vê-la feliz e saudável. Então o meu recado de hoje é o seguinte: Existem diversas "Paty's" e "Karoll's" no mundo, e elas precisam da nossa ajuda. Doem medula, salvem uma vida. Não custa nada, custa? 
Beijos!


Vestidos de formatura plus size!

Olá mundanos! Bom, minha formatura vai ser dia 27/12 e eu tava que nem louca correndo atrás de vestidos. Sou manequim 48, e isso complica e muuuuito a minha vida quando o assunto é roupas. Não achei vestido em nenhuma loja, nem pra alugar eu achei. Daí resolvi mandar fazer, e fui procurar uns modelos que me favorecessem. Enjoy!

Algumas dicas pra você não errar na escolha:

Alças: para mulheres que estejam acima do peso, os vestidos com alças muito fininhas não são indicados. Elas irão marcar muito os ombros, dando a impressão de que a pessoa está sendo cortada. Prefira alças mais grossas.  Ainda quanto aos braços e ombros, se os seus estão muito volumosos, a dica é que você opte por manguinhas em renda.
Decote: a mulher deve estar atenta ao decote escolhido. Se o busto for muito grande, é melhor não deixá-lo à mostra. Neste caso, os decotes retos costumam deixar os seios bem discretos. Se o seu busto é de tamanho médio, pode arriscar um decote “V”, desde que não seja muito aberto, para que não acabe em algo escandaloso.
Cintura: a cintura deve ser marcada, pois isso irá disfarçar as gordurinhas. Prefira vestidos que tenham uma faixa, logo abaixo do busto, sendo o restante do tecido mais larguinho.

Alguns modelos para você se inspirar:







Gostaram do post? Me contem no espaço para comentários!
 
 Beijos!




Como não amar A Culpa É Das Estrelas?


Oi mundanos! Há um tempo eu vinha querendo falar sobre A Culpa É Das Estrelas aqui no Sereníssima, mas como a grande maioria já leu eu não sabia ao certo como, pois fazer resenha de um livro que todo mundo já leu não rola né? Ok, resolvi então citar 5 coisas que fazem esse livro ser a lindeza que é.

Logo quando a febre A Culpa É Das Estrelas começou eu implicava muuuuito com o livro. Achava de verdade que era apenas modinha, afinal era foto do livro no facebook, instagram e tumblr o tempo inteiro, a impressão que dava era que as pessoas o compravam só para pagar de atualizadas.

Depois de ler várias e várias resenhas sobre o livro fiquei interessada em lê-lo. Gente, eu não encontrei nenhuma resenha negativa sobre ele. Depois de menos de 100 páginas eu já estava encantada pelos personagens, principalmente pelo Gus. O enredo, a narrativa, a desenvoltura... Tudo no livro é lindo, tudo te prende. Mas ok, vamos parar de enrolar e ir direto ao ponto. Cinco motivos para amar A Culpa É Das Estrelas:


  • Apesar do livro falar sobre câncer e a história ser triste, ele em si não é triste, o humor meio mórbido da Hazel deixa as coisas mais leves, e o Gus, o Isaac e até a mãe de Hazel fazem você apaixonar-se por eles.
  • Augustus Waters, o Gus é um encanto. As metáforas dele, o jeito que ele "aconselha" o Isaac, a preocupação dele em ser lembrado, tudo nele me faz ama-lo.
  • Os diálogos entre a Hazel e o Gus são uma meiguice só, eu quase desidratei lendo, sério.
  • O John Green, nunca simpatizei tanto por um autor quanto simpatizei por ele. O cara parece que sabe tudo que a gente pensa e joga no papel, ele escreve como um adolescente, com as ânsias e medos de um adolescente, ele consegue passar uma verdade inexplicável pra gente.
  • A lição que o livro passa, aliás, as várias lições. Hazel em determinado momento da história diz que ela é uma granada, e depois nos faz enxergar que todos nós somos, todos iremos magoar ou já magoamos alguém em alguma situação. O Gus, com o medo dele de ser esquecido, com as várias metáforas que ele usa como um auto-incentivo nos faz perceber que (1) Nós não vamos ser esquecidos, sempre haverá alguém pra lembrar da gente, e (2) Precisamos ser fortes apesar de todas as dificuldades, e jamais devemos viver de tristezas e angústias.
Essas são algumas (poucas) coisas que fazem A Culpa É Das Estrelas ser o encanto que é, e eu poderia passar dias escrevendo minhas razões para ter amado tanto um livro, mas como dizem, é difícil demais descrever uma coisa quando ela significa tanto pra você.

Mas e vocês, já leram? O que acharam do livro? Me contem ali em baixo!
Beijos ;*




Vitrola: 10 Músicas para me deixar nostalgica.




1. Ignorance/Paramore: Em meados de 2009/2010 o Paramore não saia dos meus fones de ouvido, e nada melhor pra curar a angústia do que ouvir música animada, tipo Ignorence, que despertava meu lado meio que... Rebelde! HAHA


2. Versos Simples/Chimarruts: Que atire a primeira pedra quem nunca cantou Versos Simples em uma rodinha de amigos!

3. Me Adora/Pitty: Eu cantava Me Adora sem parar, sério mesmo. Achava o máximo a música ter "palavrão", me sentia V1D4 L0K4 demais cantando ela. "Que você me adora, e me acha foda, não espere eu ir embora pra perceber" estampava meu subnick no Orkut. Rsrsrs

4. Please Don't Leave Me/P!nk: Gente do céu, sempre que passava o clip dessa música na MTV eu congelava em frente a TV, foi a primeira música que eu consegui cantar em inglês kkkkkkk

5. One Time/Justin Bieber: Siiiiiiiim eu já gostei do Justin, até Somebody To Love eu me considerava uma belieber e tinha posters do J.B. na parede do meu quarto hahahahha

6. Bem ou Mal/Nx Zero: O Nx é o meu amor até hoje, desde sempre eu ouço. Mas Daqui Pra Frente me marcou muito, acho que pelo fato de ter sido tema de abertura da Malhação, não sei, mas sempre que ouço dá aquela nostalgia fora do normal.

7. Passos Escuros/Hevo 84: Confesso que chorei agora ao ouvir essa música depois de séculos. Passos Escuros era a minha música oficial de fossa. :'(

8. As Cores/Cine: Eu sempre odiei Cine, mas depois que eu soube da história de As Cores eu me apaixonei pela música e não parava de ouvir.

9. The Kill/30 Seconds To Mars: The Kill foi a música que fez eu me apaixonar pelo Mars. Eu viajava/viajo demais nela! E o que esse chanel do Jared nesse clip hein?

10. Magic/B.O.B feat. Rivers Cuomo: Por último, mas não menos importante! Magic me fazia pular no meio da casa, e eu era apaixonada pelo B.O.B. negros sempre foram o meu fraco, desde quase pirralha. kkkkkkkkkk

Bom, eu vou parar por aqui por motivos de: Se eu continuar o post ele vai conter pelo menos uma 100 músicas e nós não queremos ler um post estendido demais né? E aí, gostaram do post? Quais músicas te marcaram e te fazem sentir nostalgia? Já experimentou ouvi-las agora e relembrar todas as suas aventuras juvenis? Me contem no espaço para comentários.
Beijos!

Ps: Eu não coloquei os vídeos porque o post ia ficar visualmente feio, mas os links das músicas estão em seus respectivos nomes.



Minha vida de acordo com... Legião Urbana (Tag)

Oi mundanos! Vi essa tag no Apenas Ana e me apaixonei por ela.



A tag funciona assim: Você terá que responder as perguntas ali embaixo com nomes de músicas da banda que você escolheu. Não é segredo pra ninguém que Legião Urbana é a minha banda favorita de todos os mundos né? Então go!

Você é homem ou mulher: Andrea Doria
Descreva-se: Sereníssima
Como você se sente: Se Fiquei Esperando Meu Amor Passar
Descreva o local que você mora atualmente: Que país é esse?
Se você pudesse ir a qualquer lugar, onde iria? A Via Láctea
Sua forma de transporte preferido: Metal Contra As Nuvens
Seu melhor amigo: Maurício
Você e seu melhor amigo são: O Mundo Anda Tão Complicado
Se sua vida fosse um programa de TV, como se chamaria? Mais Do Mesmo
O que é a vida para você? Comédia Romântica
Seu relacionamento: Não Mais Que Três Semanas
Seu medo: Tempo Perdido
Qual melhor conselho você tem a dar? Mais Uma Vez
Pensamento do dia: Ainda é Cedo
Meu lema: Hoje a Noite Não Tem Luar

E aí, gostaram? Se sim façam a tag e me contem como ficou no espaço para comentários.
Beijos!




Isso é sobre estar só

Hoje eu resolvi escrever sobre tudo aquilo que eu sinto falta. Não são poucas coisas, e não são coisas fáceis de se conseguir novamente. Eu sinto falta do seu colo, de não ter por quem sorrir, de me sentir boba ao ler um sms ou uma frase feita qualquer, de acordar de manhã e ver que o sol está brilhando mais forte e cheio de vigor apenas porque na noite anterior meus sonhos foram habitados por alguém, falta de ter braços fortes pra segurar meu mundo quando ele tende a ser tão teimoso e cair. Sabe qual é o meu problema meu filho? Eu nunca estou contente com nada, sempre sinto que falta algo em mim, em alguém, em todo mundo. Eu digo, eu grito aos quatro cantos do mundo que eu sou forte, mas eu não sou. Eu choro antes de dormir, tenho constantes crises de auto estima, têm dias que eu tenho vontade de deitar e não acordar nunca mais. É que acordar é o mal da vida. No sonho é tudo tão mais fácil, a gente pinta e borda da nossa forma, e se não der certo apagamos e refazemos, e quando estamos acordados não temos esta opção, e é por isso que hoje eu estou assim, uma dramalheira só. Prefiro estar trancada no meu quarto, trancafiada em minha gaiola junto com meus livros, porque eles sim são meus melhores amigos, as palavras sempre me entendem. Eu tenho medo de viver meu filho, eu sou o medo em pessoa na verdade, eu tenho medo de me arriscar porque um dia o fiz e só sobraram manchas de sangue ao meu redor, geralmente eu faço escolhas infelizes, eu magoo as pessoas e magoo a mim mesma. Pessoas, uma coisa que me vem à cabeça quando penso nas pessoas é: Elas são perigosas filho, se afaste delas. Me ensinaram isso, acho que eu levo a sério demais, eu não deixo ninguém se aproximar de mim, porque quando isso ocorre elas me arranham, me machucam e me batem e isso dói. Então filho, ser assim como eu é complicado não é? Eu quero mas não posso dizer que quero, eu sinto mas tenho que sufocar todo esse sentimento dentro de mim. Não seja como eu filho, não sinta falta das coisas, vá atrás delas. Se você quiser muito algo apenas faça e não deixe o medo te invadir, não seja fraco como eu filho e nunca finja ser forte. E acima de tudo, não confie em mim. Nada do que eu digo pode ser levado à sério, eu sou uma variável constante, definitivamente confiar em mim não pode ser uma boa escolha.

Instrumentos Mortais - Cidade dos Ossos #01 (Cassandra Clare)

Olá mundanos! Estou apaixonada, e minha nova paixão literária tem como autora a Norte-Americana Cassandra Clare. A saga YA Instrumentos Mortais é viciante. Personagens divertidos, romance (sem mimimis) e muita ação rondam a história de Clarissa Fray. A princípio eu ia fazer a resenha dos dois primeiros livros, mas não teria como eu fazer a resenha do segundo (Cidade das Cinzas) sem spoilers, sendo assim decidi fazer apenas do primeiro livro. Vamos lá?



 Sinopse: Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando a jovem Clary decide ir para Nova York se divertir numa discoteca, ela nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece no ar e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria.


Resenha: Cidade dos Ossos é narrado em terceira pessoa, desta forma podemos enxergar através das perspectivas dos personagens, e eu amei isso. É um livro feito para ser devorado. Os diálogos são ricos, em nenhum momento a leitura fica enfadonha, você está sempre em busca de ligar os fios soltos que Cassandra deixa em cada capítulo, desta forma quando se dá conta já leu metade do livro em questão de uma hora. O sarcasmo de Jace e a ironia de Simon nos faz dar risadas meio que sempre e Clary não é uma mocinha chata tipo aquelas que são cheia de crises existênciais, ela é segura e firme e vai em busca do que quer sem exitar. A fantasia rola solta em Cidade dos Ossos. Vampiros, lobos, anjos, fadas, bruxas... Tem de tudo um pouco. Quando se lê a história de Clary você se deixar levar pelos encantos que a autora coloca em suas palavras e volta ser aquela pré-adolescente sonhadora de 12 anos. Além de tudo isso me encantei pelo fato de ter um romance/dilema gay na trama. Cassandra realmente me encantou! E aí, que tal se aventurar com Jace, Clary, Isabelle, Simon e Alec?

E aí, o que acharam? Já leram? Vão ler? Me contem comentando alí em baixo.
Bjos!

Quer ganhar mais comentários e mais visitas em seu blog? Então leia esse post no Nós na Gravata!” 



O Plano Perfeito (Sidney Sheldon)



Sinopse: Para Oliver Russell, não existe prazer que se compare à sensação de poder. Mas quando chegar à Presidência dos Estados Unidos, saberá que poucas coisas podem ser mais devastadoras para as suas ambições políticas que o desejo de vingança de uma mulher traída. O plano perfeito narra a história de paixão, poder, traição e desforra envolvendo a publicitária Leslie Stewart e Russell, que a abandonara para se casar às escondidas com a filha de um senador influente do Kentucky, estado pelo qual se candidatou ao governo. 

Resenha: Olhando de longe O Plano Perfeito pode causar a falsa impressão de ser um clichê, afinal conta a história de Leslie, uma mulher traída sedenta de vingança, e Oliver, um homem atraído por poder, induzido pelo sogro e que por muitas vezes é o egoísmo em pessoa. Nunca julguem um livro pela sinopse meus caros hahaha, Sheldon trata desses temas com personalidade e originalidade, e ao decorrer do livro conhecemos personagens incríveis em histórias paralelas, mas que se interligam no decorrer da narrativa. Eu me encantei pela Dana, uma jornalista guerreira que vai atrás do que quer sem temer, e que é de grande importância para o desfecho do livro. Aliás, foi por causa da Dana que eu me apaixonei por jornalismo (risos). De um jeito especial que só Sheldon tem, ele consegue contar as histórias de personagens paralelos tão importantes para o desfecho quanto o da própria protagonista. O autor sempre nos deixa com pontos de interrogação que vão sendo respondidos no decorrer do livro, é bem emocionante.A narrativa do livro é agradável e flui facilmente, a história te prende porque você sempre estará querendo descobrir os mistérios que Sheldon deixa no ar em cada capítulo. A única coisa que me decepcionou um pouco no livro foi o final, eu achei um pouco machista. Achei que a personagem principal merecia um fim melhor. Mas fora isso O Plano Perfeito é sem dúvidas um daqueles livros para devorar em um domingo tedioso.

E aí, o que acharam? Já leu? Vai ler? Me contem ali embaixo!
Beijos.

Hello, I’ve waited here for you everlong.

Oi moço bonito, como andas? De onde vens? Pra onde vais? Poderia me levar com você moço bonito? Me leve junto, me coloque na sua mala, me faça sua casa, sua morada. Você tem o dom das palavras moço bonito, você manuseia bem todas elas e me enrosca na tua rede de um jeito que fica meio impossível sair. Você diz coisas doces, coisas carregadas de magia, você torna tudo belo. E sim, eu tenho medo do risco que eu corro quando estou perto de você, a corrente de eletricidade que toma os nossos corpos pode não ser tão segura, o fogo que queima minh’alma pode ser mais inflamável do que pensamos, mas eu adoro riscos, adoro romper regras e tenho um encantamento pelo perigo. Sabe moço bonito, as tuas mãos também tem magia, elas tocam notas suaves que me fazem querer flutuar, você dedilha esse teu violão velho como se estivesse acariciando cabelos de anjos e isso dá forma a mais bela melodia que meus ouvidos já puderam escutar. Vem cá moço bonito, se aconchega em meus braços, se afunda em meu seio e me transforma em canção, eu prometo que eu canto pra te ninar, prometo que te cubro quando sentires frio, prometo que faço das tuas lágrimas sorrisos e prometo que não prometo em vão e que sou cumpridora leal de minhas promessas. Então vem, ou me leva. Só não me deixa sozinha, só não me abandona nesse ninho, porque não tem sentido voar se não for com você. Então moço bonito, que tal fazer desse amor algo etéreo, algo eterno? Que tal nos embriagarmos de alegria, e nos afogarmos em paz? Vem moço bonito, vem e me cobre com tuas notas e eu juro que te acalmo com a minha voz.

Gabriele Manfredini

Enfim, 18!

Eu nunca fui dessas meninas que sonham com os 15, eu sempre sonhei com os 18. 15 não era um número bonito pra mim. Quando temos 15 anos ainda estamos na fase de sonhar com príncipes, castelos, masmorras e finais felizes, eu não queria isso. Queria viver como uma executiva bem sucedida de New York, ter o namorado que eu bem quisesse e quando eu bem quisesse, frequentar as boates mais fodas, ter sempre os pés no chão, viajar o mundo todo e passar férias em Amsterdã ou Veneza, e ir aos shows das minhas bandas favoritas sempre que eu tivesse vontade e tempo. Eu sempre tive como sonho ser independente, segura e uma mulher forte. Isso quando eu tinha 15. Agora eu tenho 18, e eu cresci. Mas não por causa da idade nem nada, cresci porque as circunstâncias me fizeram crescer. Hoje eu sei que eu nunca vou ser a mulher que eu sonhei ser, e não porque eu seja fraca demais ou algo do tipo, é que o que eu sonhava não tem nada a ver comigo. Eu nunca vou ser completamente segura de mim, meu medo de errar, de incomodar, de magoar as pessoas sempre vai andar comigo. Eu nunca vou trocar de namorado toda semana e pisar nos homens porque em primeiro lugar não sou uma vadia, e em segundo... Eu sou romântica, sou boba, eu tenho mania de me apaixonar. E eu nunca vou ter meus pés no chão, sonhar é o que me move. O meu eu de 18 entende isso, e encara como fato. Antes eu achava que eu tinha decepcionado a mim mesma, mas agora eu vejo que não. O que eu queria era irreal, superfulo e egoísta demais. Eu ainda tenho grandes sonhos guardados na mala, sonhos que necessitam de esforços para serem realizados, e eu sei que eu vou conseguir, pode não ser hoje ou amanhã, pode não ser ano que vem, mas eu vou conseguir. Sim, os 18 também me assustam. Pois é, "Já posso ser presa", "Acabou a moleza" e segundo meu pai "Já posso namorar". Os tão desejados 18 anos chegaram! Se isso é bom ou não eu ainda não sei. É que a liberdade dos 18 me assusta. Agora sou responsável por mim, respondo pelos meus atos e com a idade vem chegando também as responsabilidades. Eu nunca fui responsável, eu odeio responsabilidades. Com 15 eu me achava dona da razão, eu achava que um coração partido e um namoradinho idiota eram problemas suficientes para me fazer desistir de tudo, com 15 eu me odiava, detestava todas as entranhas do meu corpo apenas por causa de alguns bom quilos a mais. Aos 15 eu achava que o mundo conspirava contra mim e que eu era a pessoa mais sem sorte de toda a galáxia. Com 18? Bem... Ainda estou trabalhando esses problemas, e talvez eu precise de um analista às vezes, mas hoje eu lido melhor com eles. Hoje eu sei domar as minhas feras. Parte da menina dos 15 ainda continua em mim, mas parte da futura mulher dos 25 grita dentro do meu ser, esperando a sua hora de sair da gaiola, e esse equilíbrio me permite ser melhor. Me permite tomar decisões melhores. Nem sempre eu acerto, mas afinal... Eu só tenho 18! Tenho muito o que viver, tenho muito o que conquistar.

Beastly (Alex Flinn)



Título: Beastly
Autor: Alex Flinn
Editora: Harper Teen
Número de páginas: 336
Minha avaliação: 
 


Sinopse: Eu sou uma fera. Uma fera. Não exatamente um lobo, ou um urso, um gorila ou um cão, mas uma terrível criatura que anda em duas patas — uma criatura com dentes e garras e pelos surgindo de cada poro de minha pele. Sou um monstro. Você acha que estou falando de contos de fada? De jeito nenhum. O lugar é Nova York. O momento é agora. Não sofro de uma deformidade ou uma doença. E vou ficar dessa forma para sempre — destruído —, a não ser que possa quebrar o feitiço. Sim, o feitiço, aquele que a bruxa da minha aula de inglês lançou sobre mim. Por que ela me transformou em uma besta que se esconde durante o dia e rasteja à noite? Vou lhe contar. Vou lhe contar como eu costumava ser Kyle Kingsbury, o cara que você gostaria de ser, com dinheiro, beleza e uma vida perfeita. E aí vou contar como me tornei... a fera.
Resenha: Beastly, ou Besta no português é um A Bela e A Fera do século XXI. O livro fala de um menino arrogante, prepotente e que só vê e julga os outros pela aparência, abandonado pela mãe e com um pai ausente demais Kyle só se importa com status e dinheiro. Quando uma bruxa chamada Kendra resolve dar uma lição em Kyle ele se transforma em uma besta, e o feitiço do menino só será quebrado se dentro de dois anos ele encontrar o amor verdadeiro. Confesso que comecei a ler o livro sem interesse nenhum, mas depois de algumas páginas a história foi começando a fluir e eu não consegui largar mais. Não é aquele romance clichê, o livro dá destaque ao quanto por diversas vezes nós só olhamos a aparência e esquecemos de pelo menos tentar abrir a embalagem, mas também não deixa a desejar no romance, Lindy e Kyle se conhecem de uma forma meio torta e meio errada e nada muito óbvia e isso dá um encanto a mais no romance dos personagens. Super recomendo, é um daqueles livros gostosos de ler, com personagens envolventes e cheios de humor.

E aí, gostaram? Já leram? Pretendem ler? Comentem no espaço para comentários.
Bjos!

Tag: Como eu leio






Bom, ninguém me indicou o Meme, vi no blog da Taryne e resolvi fazer. E a criadora da tag foi o dona do Lendo nas entrelinhas. E o post original está aqui.
Vamos lá?

  • A Aquisição:
1- Sempre compra você mesma seus livros ou tem anjos da guarda? Se tem, quem são eles normalmente?

Eu raramente compro livros pra mim, pelo fato de que eu não tenho emprego e dependo de mamãe, sendo assim ela é a minha anjinha da guarda, e de vez em quando, se eu implorar muuuuuuito ela compra algum livro pra mim, mas geralmente eu leio mais em pdf.

2- Gasta quanto (em média) por mês em livros? Já estourou o cartão de crédito com livros?

Como falei antes... Não gasto nada. O máximo que já gastei foi 50r$. Como minha mãe não entende minha compulsão por livros ela raramente me dá dinheiro pra comprar, sendo assim sou obrigada a ler em pdf. Já me acostumei com isso.

3- Consegue livros emprestados com frequência? Se sim, quem te empresta normalmente?

Graças aos céus, sim! Tenho dois amigos (anjos na verdade) que estão se jogando no mundo da leitura, e eles sempre me emprestam os livros que eles compram. 

  • O Deleite
1- Lê em média quantos livros por mês? 

Depende muito dos livros, do meu estado emocional e das minhas crises de enxqueca. Mas acho que leio mais ou menos uns 4 ou 5 livros por mês.

2- Lê em média quantas páginas num dia da semana? E nos fins de semana?

Dias de semana leio em média umas 100 ou 150 páginas. Nos fins de semana varia bastante. Se rolar algum passeio eu leio umas 50, se não leio umas 200 ou mais. Mas depende muito do livro também sabe, às vezes eu não consigo ler mais de 20 páginas.

3- Consegue abandonar um livro no meio da leitura?

Sim, quando eu não gosto da narrativa ou quando a história não flui muito bem. Já abandonei Um Porto Seguro e Cinquenta Tons de Liberdade. Tenho horror a abandonar sagas, mas também já abandonei a saga Fallen, li até o segundo livro apenas.

  •  O Local do Crime
1- Consegue ler em local movimentado? (ônibus, fila de banco)

Sim, menos no ônibus. Leio muito na sala de aula, que é uma barulheira só, e a minha casa não é uma das mais silenciosas (tem 2 crianças aqui) e consigo me concentrar na leitura. Mas nada se compara a ler de madrugada, no silêncio absoluto.

2- Prefere ler na mesa, sofá, no chão ou na cama?

Na cama, e na cadeira de balanço também!

3- Qual a hora do dia que prefere para ler?

À tardinha, e de madrugada.

  • Os Impedimentos
1- É solteira? Se não, seu namorado, noivo, esposo, te dá espaço para ler?

Sou solteira, tenho todo tempo do mundo pra ler!

2- Lê no trabalho? Se sim, qual emprego dá essa dádiva de ler na hora de serviço?

Eu não trabalho. Mas no curto espaço de tempo em que trabalhei lia sim. Trabalhava em uma lojinha.

3- Já deixou de sair com a galera só pra ler aqueles capítulos irresistíveis?

Algumas vezes.

  • As Insanidades
1- Já sonhou ou teve pesadelos vivendo a história de um livro? Qual foi o livro? 

Já, sempre acontece. O ultimo foi sonhar que eu vivia a história da saga Os Instrumentos Mortais, quando eu estava lendo o primeiro livro, Cidade dos Ossos.

2- Qual a maior loucura que já fez ou que faria para conseguir um livro?

Nunca fiz nenhuma loucura não, também não tenho ideia do que faria, sou uma pessoa bem imprevisível.

3- Já chorou ao terminar um livro? Foi de felicidade ou tristeza? Qual foi o livro?

Tipo, choro quase sempre quando termino algum livro, quase sempre é de tristeza. Os livros que eu mais chorei lendo e quando terminei foram Cante Para eu Dormir, A Menina Que Roubava Livros e A Culpa É Das Estrelas.
  • Indicação
O correto seria indicar 5 blogs para fazer o Meme, mas como eu sou vida louca vou indicar 3 apenas. 
Realize (Fernanda), Concepções Erradas (Ariadne) e No Fim Das Entrelinhas (And).

E aí, gostaram? Me contem no espaço para comentários como vc leêm.
Beijos!

Deslembrança (Cat Patrick)


Título Original: Forgotten
Autor: PATRICK, Cat
Editora: Intríseca
Número de páginas: 256


Sinopse: Toda noite, quando London Lane recosta a cabeça no travesseiro e dorme, cada mínimo detalhe do dia que viveu desaparece de sua memória. Pela manhã, restam-lhe apenas lembranças do futuro: pessoas e acontecimentos que ainda estão por vir. Para conseguir manter uma rotina minimamente normal, London escreve bilhetes para si própria e recorre à sempre fiel melhor amiga. Já acostumada a tudo isso, ela tenta encarar a perda de memória mais como uma fatalidade que como uma limitação. Mas, quando imagens perturbadoras começam a surgir em suas lembranças e London precisa, de algum modo, escapar delas, fica claro que para entender o presente e o futuro ela terá que decifrar o que ficou esquecido no passado.

Resenha: London é uma garota diferente de todos. Ela tem um problema na memória, e todos os dias às 04:33 as memórias de London desaparecem, é como se a mente dela reiniciasse. London escreve bilhetes com informações sobre o seu dia-a-dia, detalhes, acontecimentos importantes, lembretes e roupas que vestiu. Mas como se para compensar a falta de memória de London ela prevê o futuro, e dessa forma ela consegue reconhecer sua melhor amiga Jamie, e as pessoas que a cercam. Em um belo dia chega Luke na vida da menina, e eles se apaixonam, mas London não consegue ver Luke em seu  futuro, por isso não consegue lembrar dele a não ser por causa dos bilhetes. E todos os dias ela se apaixona de novo pelos olhos azuis de Luke. London começa a ter visões e pesadelos sombrios sobre um funeral, ela vê a Mãe, o pai, e a vó nesse funeral e a partir daí começa a se perguntar porque a mãe dela nunca fala sobre seu pai e começa a investigar, ela acha cartas do pai dela, e a partir daí começa a procurá-lo. Sinceramente Deslembrança está no finzinho de melhores livros que eu já li. Eu gostei da narrativa e me apaixonei pelo Luke, mas é um livro que falta ação, nada acontece sabe, e nada prende a leitura. Pra quem gosta de romances água com áçucar eu recomendo, mas não será uma leitura que vai mexer com as suas emoções. Ah, uma coisa muito bonitinha no livro é o designer dele. hahaha

17 anos sem O Trovador Solitário



Há 17 anos atrás em 11/10/1996 Renato Manfredini Júnior falecia, deixando a sua Legião Urbana orfã. E mesmo após de passados 17 anos de sua morte suas letras ainda emocionam, encorajam e mudam as pessoas.
É extremamente difícil para mim tentar escrever sobre o Renato, que é meu maior ídolo, meu melhor amigo e a minha utopia. É meio impossível tentar aplicar nas palavras toda a emoção que a música do Renato me faz sentir, toda a admiração e amor que eu tenho por ele.
Costumo dizer que o Legião Urbana é a minha banda favorita de todos os tempos. Eu gosto de várias outras bandas, mas só e apenas o Legião tem esse poder todo sob mim. Por isso não consigo apenas dizer que é a minha banda favorita, por que é mais que isso, é bem mais que isso.
Tenho apenas 17 anos, não cheguei a ver o Renato vivo. Conheci o Legião aos 9 anos através da minha irmã mais velha, que inclusive faz aniversário hoje, no mesmo dia de aniversário da morte do Renato. Aos 10 anos eu já era fã, louca mesmo por Legião, sonhava em ir a um show, em ficar rouca de tanto gritar "Legiãaaao, eu te amoo" ou "uhu é légião", pois é, eu não sabia que o Renato tinha morrido, fui descobrir esse detalhe absurdamente doloroso aos 11 e não sei ao certo mas talvez tenha sido a minha primeira grande desilusão.
As palavras do Renato, a voz dele faz tudo aqui dentro de mim ficar bem. Têm o poder de me concertar quando tudo está errado. Sabe quando músicas contam mais sobre você do que você própria consegue contar? É assim entre mim e o Legião, e o Renato. Ele escrevia com a alma, por isso mesmo hoje, depois de 17 anos tudo ainda é tão atual. Ele tinha um dom, ele emocionava as pessoas, ele consegue tocar o coração da gente. O Renato lia as emoções sucumbidas e escondidas nas pessoas e as transformavam em música.
Queria ter nascido nos anos 80, queria ter acompanhado a carreira do Renato, queria ter podido ir a um show. Às vezes me dá uma raiva tremenda do Renato, o cara que falava exaustivamente nos shows para os fãs usarem camisinha não seguiu o próprio conselho e acabou morrendo por estupidez. Mas ele era assim mesmo, nunca conseguia seguir os próprios conselhos, era mandão, teimoso, e sempre queria tudo do jeito dele. Com o Renato era 8 ou 80, tudo ou nada. Um dos maiores sonhos do Renato era mudar o mundo, e ele não conseguiu. Mas ele conseguiu mudar muita gente, conseguiu e consegue passar emoção em para alguns milhares de pessoas. Renato não mudou o sistema, mas conseguiu ao menos mudar a ótica de algumas pessoas. E se eu acreditasse em vida após a morte com certeza teria a plena certeza de que de onde ele estiver estaria feliz em ver a sua geração coca-cola, a sua Legião Urbana.

Renato Manfredini Júnior, o cara das manias mais estranhas. Da voz mais perfeita. Do sorriso mais inocente e honesto. Das letras mais fodas. Um dos maiores poetas da música brasileira, O Maior de todos para mim.

Cante Para Eu Dormir (Angela Morrison)



Livro: Cante para eu dormir.
Autor: Angela Morrison
Editora: Pandorga
Número de páginas: 501

Sinopse:

Cante para eu dormir revelará a dura realidade da vida, a energia firme da amizade e mostrará que o verdadeiro amor transcende tudo. O livro conta a história de Beth, uma garota que sofre bulling e passa toda sua infância sendo rejeitada por sua aparência. As únicas pessoas a aceitá-la são sua mãe e seu melhor amigo, Scott. Mas tudo isso fica para trás quando ela é convidada para ser a vocalista do coral da escola e recebe a transformação que lhe dará a oportunidade de conhecer um amor que vai além de tudo, até mesmo da própria vida. Derek é tão lindo, tão doce, tão fantástico que Beth acha que não merece, mas quer experimentar, mesmo estando á milhas de distância. Porém, existem segredos não revelados entre eles. A história reúne as mais profundas emoções humanas: decepções, tristezas, alegrias, amores e paixão, muita paixão, que ficará gravada em cada coração por muito tempo, mesmo depois do término da leitura. 

Resenha: 

Cante para eu dormir é um daqueles livros que você devora em uma madrugada. A história é doce, romântica e envolvente. Sabe aquele livro que parece que a personagem foi escrita através do seu reflexo? Cante Para eu Dormir foi assim pra mim. Um dos livros mais lindos que eu já li. A narrativa é em primeira pessoa, e eu particularmente amo narrativas assim. Logo ao nascer as primeiras palavras que disseram a Beth foi: Como você é feia. Na escola ela sofre com o bullying desde sempre, e os únicos que a aceitam são sua mãe, e seu amigo Scott, que é apaixonado por ela. A vida da Beth muda quando ela se torna a nova solista do coral em que canta. Como as pessoas a julgam por sua aparência, Meadow (também solista do coral) e sua mãe (que patrocina o coral) decidem mudar Beth. A garota passa por um banho de loja, trata as acnes e fica bonita como a sociedade exije. Beth e as garotas do coral vão a uma competição de corais na Suiça, e lá Beth conhece o Derek, um garoto que canta no melhor coral do mundo, o Amabile. Derek e Beth se apaixonam, mas ao mesmo tempo que Beth ama Derek ela ama também o Scott, que sempre esteve ao lado dela em todas as situações de sua vida. Daí surge o triângulo amoroso e a dúvida, beth ficará com o Scott que a ama desde que ela era A Fera, ou com Derek o garoto cheio de mistérios e segredos que provoca uma combustão nela apenas com o toque? Cante para eu dormir é um livro que arrebata o leitor e o prende. É um clichê que vale a pena ser lido e relido.

E aí, gostaram? Me contem no espaço para comentários. Bjos!